segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O NOME PROVISÓRIO

Ao ser chamado pelo nome
esboço sorrisos e nego minha presença.

Renego minha ausência.
Assisto a hipocrisia
inundar a fala. Falo da antevisão
do corpo no erotismo
anômalo ao quarto.

O piano oferece teclas
ao dedilhar primário: oferto
preços ao preconceito.

(O professor nega a obviedade
no desinteresse pela classe: alimenta
esperanças nas luzes apagadas).

(Pedro Du Bois, A PALAVRA DO NOME, 4)

4 comentários:

  1. Acho que preciso aprender a renegar ausências. Bom te ler, pedro. Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Grato, Nydia. Abraços e boa semana. Pedro.

    ResponderExcluir
  3. Lindo, Pedro!

    Também fui luz apagada em sala de aula. Mas brilhante em notas. Talvez seja este o segredo!

    Um abraço!

    Mirze

    ResponderExcluir
  4. Talvez, seja. Abraços, Mirze. Pedro.

    ResponderExcluir