terça-feira, 31 de julho de 2018

ANTIGOS AMORES

Expressa razões
- feixes de luzes
  leem a dor

quebra o encanto
do grande amor

antigos discos
        empilhados
        cobertos pelo pó

acoberta sonhos
de tempos passados

na irracionalidade contida
das lágrimas incontidas
em dores carnais.

(Pedro Du Bois, inédito)

domingo, 29 de julho de 2018

TANTO

Tanto esperei
cheguei atrasado

tanto penei
foi quase nada

tanto pensei
estava assustado

podia ser menos angustiado
entender os fatos lembrados
renegar o tempo entrecortado

tanto esperei
quando cheguei
não havia nada.

(Pedro Du Bois, inédito)

sexta-feira, 27 de julho de 2018

SÍNTESE E RESUMO

Não rouba
não mata
não cobiça a mulher do próximo

não nega suas divindades
nem as invoca em vão

vive como sempre:
               pouco a pouco
                          sem loterias
                                     fama
                                 fortuna

naturalmente opaco

criado educado
casado aposentado

síntese e resumo
não literários.

(Pedro Du Bois, inédito)


quarta-feira, 25 de julho de 2018

ANTIGUIDADE

Antiguidade:

o que sobrevive
ao criador

na importância
multiplicada
pelo tempo

não o formato
       o material
       a textura

a originalidade
do que se mantém
para o nosso olhar.

(Pedro Du Bois, inédito)

segunda-feira, 23 de julho de 2018

PORQUE NÃO MUDA

Honesto com quase todos:
              vinte por cento de graxa
              para igualar o peso

apaixonado como todos:
         olhos vorazes nos lugares
         onde descansa o corpo

familiar como quase todos:
          o aperitivo com os amigos
          em qualquer horário

religioso como todos:
           em cada sinal fechado
           grita "lincha" ao mero suspeito

bastião da integridade social:
    vota nos candidatos que encaminharão
    os seus pedidos e  que transitam
    com ele pelos mesmos descaminhos.

(Pedro Du Bois, inédito)
   

sábado, 21 de julho de 2018

QUANDO AMANHECE

Esteja por perto
sinta o aroma
do que há aqui

pode não ser o melhor dos mundos
mas é o que tem para viver

fique certo
espie a festa
sinta o calor dos corpos

não é o melhor dos mundos
mas é o que há para se divertir

acorde cedo
sinta o amargor na boca
feche as cortinas
volte a dormir.

(Pedro Du Bois, inédito)

meiotom poesia&prosa

Interlúdio / Interlude, em:
http://www.meiotom.art.br/dupo18inter.html

terça-feira, 17 de julho de 2018

IMAGEM & REFLEXO - capa do livro


SOL A SOL

Desencontrados caminhos
                           peregrinos
                   savanas compostas
                   selvas decompostas

areia poluída
         óleos de bronzear
         cremes protetores

desencontrados peregrinos
           apregoam produtos
           embalam preguiças.

Sol a sol.

(Pedro Du Bois, inédito)


domingo, 15 de julho de 2018

HUMANO

Espreita a caça
          sorrateiro
          aguarda o momento
                        para atacar

esquece

a caça espreita o caçador
           ligeira
           busca o momento
                     para escapar

esquece

quem de longe olha
aponta a arma
                 mira
                    atira
                    para todos os lados.

(Pedro Du Bois, inédito)                   

sexta-feira, 13 de julho de 2018

QUEM NÃO FOI

Teve o tempo que quis
para fazer o que era preciso

pouco fez

teve o tempo que quis
para traçar o seu caminho

pouco traçou

teve o tempo que quis
para dizer a que veio

pouco disse

agora
   exige
     do outro
          o que deixou pelo caminho

- melhor sair de fininho
               e sumir no ar.

(Pedro Du Bois, inédito)

quarta-feira, 11 de julho de 2018

AFASTAMENTO

Posso escutar a sua voz
mas a conversa repete
chavões esmaecidos

posso ler as suas palavras
mas o texto repete
fórmulas amarelecidas

posso ver as suas feições
mas a face repete
esgares esquecidos

posso tomar a sua mão
mas o contato repete
gestos entorpecidos

sigo outros caminhos
diversos
   dispersos
        ásperos
            amadurecidos.

(Pedro Du Bois, inédito)

segunda-feira, 9 de julho de 2018

COMO INICIA


Mal     visto
mal      quisto
mal      cuidado
mal       criado

todos os males
          prefixos

Malazartes.

(Pedro Du Bois, inédito)

sábado, 7 de julho de 2018

QUANDO TERMINA

Onde o gosto
        desgosta

onde o ódio
         apaixona

onde a amizade
vai embora

o lugar vazio
espera preencherem as vagas
por todos os sozinhos imersos
em vidas mesquinhas
                  desgostosas
                            odiosas

solitárias.

(Pedro Du Bois, inédito)

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Revista Cerrado Cultural

Fácil, em:
http://revistacerradocultural.blogspot.com/2018/07/facil.html


NADA VALEM

Nada valem as conquistas
          viagens de descobertas
          passado revisitado
          em cada caverna
          reaberta

nada valem as guerras
         rudes palavras
         presente reprimido
         em cada alarme
         disparado

nada valem as lágrimas
         derramadas pelos pais
         futuro encardido
         em cada situação
         desesperada.

(Pedro Du Bois, inédito)


terça-feira, 3 de julho de 2018

AÇÃO

das ações
      lembranças

vagas recordações
algumas escavações
              arqueológicas

              papiros
              desenhos rupestres

   templos
   aras
   sarcófagos

das inações
      a história
      recontada
      algum dia.

(Pedro Du Bois, inédito)

domingo, 1 de julho de 2018

SEU OLHAR


Seu olhar expressa
sentimentos impressos
de longa duração

                 a piscadela marota
                 imprime rápida
                 mudança comportamental

(eu)
cúmplice confesso
do crime previsto
na última estação

                  seu olhar imprime
                  sedução e sexo
                  em visão espiritual.

(Pedro Du Bois, inédito)