quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

COTIDIANOS

Procuro entre os bichos,
à venda na loja, um para ser
meu companheiro.

Gatos, cachorros, pássaros,
sujos e barulhentos.

Grandes e fedorentos.
Trabalhosos.

Peixes, tartarugas, animais
aquáticos, silenciosos.

Arrisco o olhar aos macacos
inquietos em suas gaiolas.

Antes de qualquer gesto, desisto.

Saio da loja como entrei, sozinho,
na certeza de que não conversariam comigo.

O papagaio, repete.

(Pedro Du Bois, COTIDIANOS, Edição do Autor)

11 comentários:

  1. O Papagaio conquistou sua simpatia. Abraço.

    ResponderExcluir
  2. a convivência conosco
    é bem mais atribulada

    (mas às vezes
    há magia)

    forte abraço,
    camarada.

    ResponderExcluir
  3. um canário
    pousa cisca e vai embora -
    sem cantar...

    ResponderExcluir
  4. noite de insônia –
    late o cão da vizinha
    sem ritmo algum...

    ResponderExcluir
  5. flores penduradas -
    na parede da sala
    um van gogh...

    ResponderExcluir
  6. não só coisas ruins
    nesta manhã chuvosa –
    pica-pau no poste...

    ResponderExcluir
  7. boa notícia:
    a chuva – a má notícia –
    a enchente...

    ResponderExcluir
  8. ao amanhecer
    uma cuia de chimarrão
    me faria bem...

    ResponderExcluir
  9. joaninha -
    pousada em meu braço
    passeia comigo...

    ResponderExcluir
  10. permanece
    entre meus dedos
    o cheiro do jardim....

    ResponderExcluir