quarta-feira, 8 de abril de 2015

RETORNAR


Recupero o absurdo sonho
desfeito em atos concretos
nos dissabores da partida

             amores
             absurdo senso
despercebido no corpo
oferecido em obstáculo

                         sou inteiro absurdo
no desmembrar pontos enredados
na história primitiva dos aceites
em que me orgulha a verdade

estertores permitem absurdos
adeuses no endosso de papéis
desprezados em letras de ganância
  absortas em janelas destrancadas

refaço o absurdo da chegada
e estou em casa como sempre.

(Pedro Du Bois, inédito)


Um comentário:

  1. Grato, Silviah, por mais essa visita, leitura e retorno. Abraços. Pedro.

    ResponderExcluir