domingo, 7 de abril de 2013

TERRA

Celebro a terra que não me pertence
                 em cercas e arames
             estradas
        muros
amuradas

terra celebrada em plantações
de escassas margens
                   em árvores tombadas
ressecadas em lavouras aguadas

do que vejo nada me será dado
além do forçado pedaço
onde depositarão o corpo

ravinas
    despenhadeiros
caatingas
e ervas rasteiras

          o gado e o homem
          bichos transversos
          do que a terra guarda
                      e não oferece

vejo a terra
e nela escrevo minha propriedade
                       despossuída em arco
                       e flecha: a mira atira
                       a poeira sobre os olhos
              em que a lágrima cai
                                  indefesa.

(Pedro Du Bois, inédito)

3 comentários:

  1. Pedro, tenho lido suas atualizações, mas demorei a parar um pouco e comentar. Alguns lugares neste Brasil tem sofrido com a seca. Então a terra nada oferece porque a vida que corria nela secou. E os que dela vivem, morrem.

    Beijos
    Sissym
    Blogzoom

    ResponderExcluir
  2. Grato, Sissym, pelo seu retorno. A terra é parte da natureza e, sabemos, não tem preocupações com quem a habita.

    ResponderExcluir
  3. Belo conteúdo, convido a conhecer meu blog que fala sobre espiritualidade e experiências oníricas: http://profeciasoapiceem2036.blogspot.com.br/ Abraço

    ResponderExcluir