segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

SONS

Inaudíveis sons permanecem
nos tempos da memória

em silêncio transcendem
marcas e na melodia
se reapresentam: momentos
perdidos em que não temos
ânsias e ganâncias são refreadas

inauditos fatos demonstram
o grito lacerado dos amantes.

(Pedro Du Bois, inédito)

2 comentários:

  1. Muito expressivo e profundo, parabéns amigo poeta!

    ***

    ResponderExcluir
  2. Grato, Francisca, por sua leitura e comentário. Abraços.

    ResponderExcluir