quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

AMANHECER

Em pálida luz
amanhece o dia
no princípio da aurora
entre bocejos entrecortados
de realidade

sei da sua presença
na divisão do tempo:
            está comigo na imensidão
            das revisões diárias
            dos amores

amanhece: a luz se consubstancia
em clarões. Ser do dia o universo
repetido no canto dos pássaros
e na água da pia: restos da pasta
                           de dentes

amanheço dias ensolarados
entre nuvens: voce dorme.

(Pedro Du Bois, inédito)

4 comentários:

  1. faz tempo que não venho, agora não quero mais sair.

    ResponderExcluir
  2. Grato, Maria, pela sua visita. Abraços, Pedro.

    ResponderExcluir
  3. Grato, AnaMar, pela sua companhia. Abraços, Pedro.

    ResponderExcluir