sábado, 31 de outubro de 2015

MURO

no muro escrevo
escorro a tinta
em auxílio ao espaço
defendido em pedras

a pedra insensível
cimenta passagens
naturais de ontem

a tinta garatujada arremessa
o tempo contra o muro
que permanece

(Pedro Du Bois, inédito)



quinta-feira, 29 de outubro de 2015

terça-feira, 27 de outubro de 2015

ONDE

para onde levam a sua vida
que a vida está
onde quer que esteja
não se preocupe
em qual margem do rio
pode estar
há o rio entre margens
se uma das margens não é bastante
há outra para ser tentada
não se preocupe em dar coisas ao filho
ao filho cabe estar consigo: deles
das margens e da vida
(de todo o pouco
 e do pouco
           tudo)
há o bastante
para a caminhada

(Pedro Du Bois, inédito)

domingo, 25 de outubro de 2015

MOSCA MORTA

em volta a mosca morta
reflui suas asas ao acaso

não interessa o voo
sobre águas claras
nem o destino cruel
da transformação
da larva em espécie

o imobilismo traduz a hora
em estigma e desonra

a mosca morta remete a cena
ao começo do teor do extrato

o contrato na vida
entre o voo e a morte

(Pedro Du Bois, inédito)

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Leonardo Sodré

Passos, em:
http://www.leonardosodre.com/2015/10/passos.html

MUDANÇAS

na alternância
a saliência áspera
das disputas bifurcadas
em reentrâncias paralelas

assimétricas barras
na repetição dos gestos
desesperam trajetos

na similitude olhos
encontram a ética
no contra-fogo ácido
dos reinícios

alternâncias envolvem
atos sucessivos
na contrariedade
das disputas

(Pedro Du Bois, inédito)

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

ATRIBUIR NOME

No nome atribuído esquece o significado
e o apelida com outro nome desigual

degrau estabelecido na comparação
indiferente ao objeto desconhecido
sob a nominação anunciada

diz do nome: nada sobre consistência
forma e volume: desconhece a pureza
e acrescenta - qualidade - a desigualdade
proveniente da comparação inerente
ao nome distribuído no círculo
vaidoso do detalhe decomposto.

(Pedro Du Bois, inédito)




segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Modus vivendi

Passos, em:
http://amata.anaroque.com/arquivo/2015/10/passos

REDUZIR

Reduz o conceito ao último estame
da planta morta em desconhecimentos:
                  suas mãos respiram o aroma
                  no fim absorto das abstrações

afasta o corpo em ângulos
no visualizar imagens recônditas
                            do que esquece

reduz o instante no afagar o corpo
dispensando os olhos aos sentidos
deixados nas mãos do esquecido
exercício em se dizer presente

na finalização reproduz dizeres
da última página no antegozo
                   do esquecimento.

(Pedro Du Bois, inédito)

sábado, 17 de outubro de 2015

Livro Tânia - Lançamento


Livrarias Curitiba

Iguais, em:
http://www.livrariascuritiba.com.br/iguais-aut-catarinense-lv336148/p

ABSORÇÃO

Absorvo da queda
o sopro
irresistível
das trapaças: tropeço
                      ante o nome
                      revelado:

            o absorvido sopro
            se espalha em hordas

ondas: anônimos personagens
desperdiçados em livros
de chamada absorvem
o todo em outro
nada: aos nomes
cabem representações
estéticas no estender
do corpo o que lhe cabe.

(Pedro Du Bois, inédito)

terça-feira, 13 de outubro de 2015

TEMPOS

Tempos desprovidos da sensação
angustiante dos relógios de horas
minutos e recordes: tempo
necessário à ultrapassagem
das sensações repetidas
em que nos reconhecemos
e dizemos bom dia

repletos em claros
                         escuros
                         regulam a fome
                                    e o sono

a paixão é ardor adormecido
com que velhos se recolhem
em tempos de saudades

sem a opressão dos instantes
obrigatórios de atenção: tensão
marcada em passos adicionados

livre da dedicação consequente
nos ataques desconstruídos do tempo
necessário ao reordenar a vida.

(Pedro Du Bois, inédito)

domingo, 11 de outubro de 2015

CONQUISTA

Avança sua força                      invade
avança suas fronteiras         elástica terra
                            apropriada

discursos desiguais
         prometem
         salvaguardas e esperanças

esgarça forças na contemplação
da fronteira: armas assinaladas

                    refaz as tropas
                     enfeitadas
                      nas cores locais

desfaz linhas imaginárias
no enfrentar o espaço ocupado
na certeza do reconhecimento

     gritos traduzem o esforço
     na contração hipotética:
          futuro revelado em esgares
          absolutos de mazelas.

(Pedro Du Bois, inédito)

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

ÂNGULOS

Sob o ângulo
            agudo
             agudiza
               ajuíza a ação
               oficializada no (des)encanto

    na sua falta
    reconhece o escuro
    tropeçado no degrau
                                 acima

o ângulo estreita o caminho
entre passos e esperas

         compreende a verdade
indemonstrável no momento
   em que o ângulo se fecha
                 na mortalidade
expressada pela sentença.

(Pedro Du Bois, inédito)

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Leonardo Sodré

Poder, em:
http://www.leonardosodre.com/2015/10/poder.html

FORMA

A palavra em única forma
restringe o entanto do que seria
o todo imaginado

cerceia
em antepostas amarras
a recomposição da sintaxe (vã)
de indispensáveis lamentos

não ter palavras
no entender meandros
do caminho ultrapassável
em métricos versos ao acaso

na grandeza (intrínseca) do objeto
em sua única forma não escrita.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

SONHOS

Recrio o sonho
enfadonho
despertado em fogos
de artifício

o artificialismo
com que me cerco
na ilusão acrobática
da insensibilidade

o sonho transmite o interior
do instante e o verseja
em encorajados átimos

guardo a realidade antecipada
e a revolvo em sons imaginários.

(Pedro Du Bois, inédito)

sábado, 3 de outubro de 2015

LEILÕES

Declaro em mentira
minha verdade
numericamente aposta
sobre a pedra

bato o martelo
e a vendo
ao ordinário
tempo suspenso
em inverdades

não importam lances
destruindo minhas barreiras:
                 psicologicamente retenho
                 o olhar embaçado da entrega

ao arrematante cabem
adequações necessárias.

(Pedro Du Bois, inédito)

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

REVANCHE

A revanche cristaliza
o erro

ergo a taça em combate
e na materialização do erro
desconto enganos ultrajados
                       ultrapassados
                            injuriados
acotovelados em lugares
                   superlotados

a revanche cede 
ao anterior vitorioso
que se defende

no que ataca.

(Pedro Du Bois, inédito)