segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

CUMPRIR

o réu olha desconsolado
a derrota na argumentação
                       do defensor

            está condenado
            em cárcere fechado
            aos movimentos
            das horas perdidas
            entre águas e riscos
            no tempo restante
            do descontrole

sobrevive em dúvida: do crime
relembra gestos: recusa a fome
na comida ofertada ao corpo

o desconsolo o derruba: reclama
espaço
       privilégio
                favor

refaz em silêncio o consolo anterior
ao ato em que se instala (quieto)

(Pedro Du Bois, inédito)

domingo, 21 de fevereiro de 2016

TER

Tenho de estar presente
                corpo e alma
                olhos e bocas
faltantes olhares de aprovação

tenho de ir até o momento
geográfico das descobertas
despertado nos olhos da paixão

tenho de buscar razões
na conclusão do discurso: ordenar palavras
estratificadas no lado oposto do sofrer

tenho a história menor
dos arrependimentos na prece
esvaziada de significados
soantes em redomas circulares

tenho o eco das mensagens apoderado
no som da interminável repetição do fato.

(Pedro Du Bois, inédito)

sábado, 20 de fevereiro de 2016

SABER

até onde sei
diverso do saber
                   abastado
                   das capas
em copos esvaziados

sobre conversas entre filhos
e mães: sobre modas
             sobre nada
             sobre filhos
             outros
no espaço branco do cadáver
estendido sob o jornal dormido
repousa o corpo em outra vida

atravesso a rua: na vitrina
leio o aviso sobre emprego

chego perto e sem ser percebido
retiro da bolsa o pacote repleto
de não saberes das histórias

(Pedro Du Bois, inédito)

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

LEMBRAR

Nada valem as lembranças
no pedido tardio de adeus

entranhado ao corpo
           rasgo a pele
com ásperas mãos
e me desprendo

tempo decorrente: instante
de ir embora sem a mágoa
                            incrustada
                      sem a mágica
                              revelada
                      sem a trágica
                       ideia de ficar.

(Pedro Du Bois, inédito)

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

REFERENCIAIS

Encarcerado em seu espaço
                                 traça
                                 o tempo
                                 de passagem

a vitória demonstrada
na imensidão da massa
conduzida ao cerne
da observação

princípio e fim entrelaçados
traz
e leva
razões elementares
para estarmos aqui.

(Pedro Du Bois, inédito)

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Libros & Letras Revista Cultural de Colombia e América Latina

El rincón del poeta
Desdecir, em:
http://www.librosyletras.com/2016/02/el-rincon-del-poeta_9.html

MOTORES

Na atração
nos repelimos

somos meio
termo: terno
           tenro
intercalados em desafios
por onde - caminhos -
escapamos
e retornamos
para ficarmos juntos
e sermos únicos
detentores da dupla
função: estanques
progredimos
e estimulados
regressamos.

(Pedro Du Bois, inédito)

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

SONS

Inaudíveis sons permanecem
nos tempos da memória

em silêncio transcendem
marcas e na melodia
se reapresentam: momentos
perdidos em que não temos
ânsias e ganâncias são refreadas

inauditos fatos demonstram
o grito lacerado dos amantes.

(Pedro Du Bois, inédito)

sábado, 6 de fevereiro de 2016

Letras et cetera

Perguntas e Respostas, em:
http://nanquin.blogspot.com.br/2016/02/perguntas-e-respostas.html

A História Vivida

Quedar, em:
http://ahistoriavivida.blogspot.com.br/2016/02/quedar.html

meiotom poesia&prosa

Quedar, em:
http://www.meiotom.art.br/dupo16quedar.htm

TriploV Blog

Quedar, em:
https://triplovblog.wordpress.com/2016/02/05/poema-3/

DIÁRIO

desmarco a consulta no dentista
mas mantenho minha ausência
no trabalho: afogo a dor
                    no botequim
                    da esquina
                    antes de casa

no trivial barato
dos dias repetidos

na porta o cachorro late
avisos esparsos
aos passantes

(Pedro Du Bois, inédito)
                   

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

REGRESSO

no regresso
o vazio
da partida
remove
pedras
antepostas
no gesto
agreste
do reencontro debruçado ao nada

o ser recuperado em lembranças
                                 alcança a mão
                                 a quem chega
                                 e sorri a ausência
                                 personificada
                                 no reconhecimento

(Pedro Du Bois, inédito)

meiotom poesia&prosa

Fogo, em:
http://www.meiotom.art.br/dupo16fogo.htm

Modus vivendi

Quedar, em:
http://amata.anaroque.com/arquivo/2016/02/quedar

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Vale em Versos

Viveres, em:
http://valeemversos.blogspot.com.br/2016/02/viveres.html

CONSCIÊNCIA

Conheço da natureza
o permitido nas limitações
climáticas: sismos
            aquecimentos
em gases reconstruídos: o senso
comunica asperezas onde transito
errático na tentativa de descobrir
maneiras para ir embora: morro
em corpo decomposto de nova
forma revivida: maneira incolor
de doce futuro: inconsciente
na liberação das imagens
de que são feitos os sonhos:
vagares alternados de esperanças
em pesadelos amiudados das reformas.

(Pedro Du Bois, inédito)