quinta-feira, 30 de abril de 2015

VENTOS

Busco no vento
a invenção
da poeira suspensa
na inovação
do papel esvoaçante
na renovação
da terra revolvida
na entonação
do surdo canto do pássaro
caído em correntes aéreas
desfavoráveis ao voo

aos pássaros o vento
limita facilidades
para se locomoverem

quedas ensinam aos ventos
a dosagem das passagens.

(Pedro Du Bois, inédito)

terça-feira, 28 de abril de 2015

Revista Libros y Letras

Peregrino, em:
http://www.librosyletras.com/2015/04/peregrino.html

INSÔNIA

sei da hora insone dos apaixonados
na revolta surda dos amores desaparecidos

unidos pontos mostram desejos
desavergonhados em canções pueris
de falsas inocências: a voz falha
na mentirosa idade declarada
    no gênero anunciado
 e no sexo desvelado
                          (após a hora)

no ultrapassado horário dos recolhimentos
conto sentidos desperdiçados em sorrisos

lembro outras horas além do estreito
corredor dos tempos enjaulados: não
dormir asfixia o sonho e o devolve
à superfície onde nos habitamos

(Pedro Du Bois, inédito)



sexta-feira, 24 de abril de 2015

Projeto Passo Fundo

Sobre Pombas, em:
http://www.projetopassofundo.com.br/principal.php?modulo=texto&con_codigo=53021&tipo=texto&cat_codigo=18

TriploV Blog

Sobre Pombas, em:
https://triplovblog.wordpress.com/2015/04/24/poema-sobre-pombas/

VIDAS


Irresolúveis vidas domésticas:

a fome
o frio
a doença
a sequência das jaulas 
                    fechadas ao novo

a perda
reconstitui o animal
desprezado em milênios

retorna ao âmago assustador
das intempéries e recoloca 
o mito na irrealidade

a magia retira o sorriso
da inconstância onde exibe
princípios marginais: a morte
ronda a fome e o espírito se apaga

em promessas mentidas como praga.

(Pedro Du Bois, inédito)

quarta-feira, 22 de abril de 2015

MENTIRA


No atraso da mentira
instalada
            e apropriada
em vivenciar imagens
descompromissadas

na desinformação o espírito
entrega o restante da cultura
                           sem revolta

entende o atraso transformado
e busca no reconhecimento
seus sentimentos

recebe o prêmio em moedas
e as revende pelo valor da face
mentirosa incutida em seu centro
não prazeroso de dias repetidos.

(Pedro Du Bois, inédito)

segunda-feira, 20 de abril de 2015

DECIFRAR


Enigmas decifrados
na decomposição da fala
fragmentada em discursos
arraigados ao presente

na ausência da solidificação
o espanto transcende
a ideia arrogante das tragédia

no canto da rua
         ante o muro
de palavras escritas
acredita nos hieróglifos
contidos no verbo passado
                       em ausências.

(Pedro Du Bois, inédito)


sexta-feira, 17 de abril de 2015

O HOMEM

o homem espera a abertura da porta
e na sala o arrastar da cadeira
para sentar e iniciar a conversar
sobre a notícia a confirmar o fato

na participação indireta
de a vida retilínea esperar a porta
ser aberta e a cadeira arrastada
e sentado saber notícias atrasadas

atrasos fecham portas e negam o espaldar
da cadeira: das notícias retira fatos
fabricados em vidas irregulares

no sentimento que o abate
em combate estivesse
no amortecer do dia

(Pedro Du Bois, inédito)

Vale em Versos

Rejeição, em:
http://valeemversos.blogspot.com.br/2015/04/rejeicao.html

meiotom poesia&prosa

Milagre, em:
http://www.meiotom.art.br/dupo15milagre.htm

Belo, em:
http://www.meiotom.art.br/dupo15belo.htm

quinta-feira, 16 de abril de 2015

VELHOS AMORES

amores desesperados em entregas
inúteis: paixões não se dividem
nem cedem corpos ao cansaço

repetem gritos
        enviam mensagens
        telegráficas: o passado
ressurge em nova roupagem:
esconde personagens distribuídos
em frases desconexas de sentimentos
sobre corações feridos de saudade:

         bobagem dizer verdades
         ao se ausentar: no reencontro quer
         o silêncio dos cumprimentos: na paixão
descobre o quanto a vida cede
ao contato e se entranha na sombra
reconduzida ao êxtase: amores
se desconsolam em olhares
e dores não consumidas

(Pedro Du Bois, inédito)




terça-feira, 14 de abril de 2015

ERRO

Prometo ao erro a persistência
do encontro no desenlace

ao erro cabe a solicitação
do tempo permitido
em sua correção

a correção desvirtua o erro
no enquadramento arbitrário
do contrário

prometo manter meus erros sob controle
e deles retirar a essência da sobrevida

ao erro cabe resolver suas questões internas
e se descobrir em enganos e ilusões.

(Pedro Du Bois, inédito)

domingo, 12 de abril de 2015

RAÍZES

em desespero
o homem
pensa suas raízes

em último
esforço
arranca-se

o dia
prenuncia o frio
com que esquecimentos
cercam os objetos

a clareza do amanhecer
supre a dor da perda
e o corpo livre
busca novas raízes

(Pedro Du Bois, inédito)

sexta-feira, 10 de abril de 2015

A História Vivida

Nomes, em:
http://ahistoriavivida.blogspot.com.br/2015/04/nomes.html

Ares e Mares

Milagre,
Belo,
Replicar,
Infinito, em:
http://www.aresemares.com/index.php/materias-especiais/6734/

Acervo #do meu livro

Milagre, em:
http://www.domeulivro.com.br/9-materias/195-milagre-especial-pedro-dubois

Modus vivendi

Milagre, em:
http://amata.anaroque.com/arquivo/2015/04/milagre

DA IMPORTÂNCIA

posso mudar
o que não é importante
              o amor
              na hora do encontro
      a despedida
      na palavra mentida
a verdade calada no gesto

posso amiudar
o que não me transforma
                a avareza
               na beleza
         a incerteza
         no sentimento indissolúvel do medo
         pela constância inexata da pureza

posso esperar o final
em dias decorridos

(Pedro Du Bois, inédito)

quarta-feira, 8 de abril de 2015

RETORNAR


Recupero o absurdo sonho
desfeito em atos concretos
nos dissabores da partida

             amores
             absurdo senso
despercebido no corpo
oferecido em obstáculo

                         sou inteiro absurdo
no desmembrar pontos enredados
na história primitiva dos aceites
em que me orgulha a verdade

estertores permitem absurdos
adeuses no endosso de papéis
desprezados em letras de ganância
  absortas em janelas destrancadas

refaço o absurdo da chegada
e estou em casa como sempre.

(Pedro Du Bois, inédito)


segunda-feira, 6 de abril de 2015

Leonardo Sodré

Belo, em:
http://www.leonardosodre.com/2015/04/belo.html

CALORES


 Ávido
árido
arrisco o tiro
erro a presa
          o alvo

calmamente me dirijo
ao arremedo da certeza

encaro o tiro
arremesso a pedra
estremeço vontades

seca
sequência
no gesto
devoluto

da saudade.

(Pedro Du Bois, inédito)

quinta-feira, 2 de abril de 2015

INÓCUOS

O inócuo gesto recolhido
            tolhe a passagem

ávida preguiça
repousa inócua
     sob a árvore

na sombra sentimentos aquecem
lembranças inócuas de saudades

o gesto inocula a certeza
das destrezas assumidas
em formas que permitem
        aprisionar memórias

na sombra sentimentos sabem
o pouco que resta nos espaços.

(Pedro Du Bois, inédito)