domingo, 30 de março de 2014

Diga 33

Brevidades, em sua 4a. capa:
http://www.diga33.med.br/?menu=recomendo_list&id=19#coment

Leonardo Sodré

Horas, em:
http://www.leonardosodre.com/2014/03/horas.html

Literatura sem fronteiras

Mudar, em:
http://literaturasemfronteiras.blogspot.com.br/2014/03/mudar-pedro-du-bois.html

LOUCURA

estranhos anúncios
mal feitos na execução
da ilusão - extrema -
da possibilidade
de mudanças

nada muda: o fogo
e a violência cristalizam
o fim em resultado
inconsistente

o animal se aferra
na derrubada da última
esperança de convivência

(Pedro Du Bois, inédito)

sábado, 29 de março de 2014

sexta-feira, 28 de março de 2014

Estudo Geral

2 poemas, em:
http://luis-eg.blogspot.com.br/2014/03/pedro-du-bois-2-poemas.html

FIM

Retorcido o ferro
obedece e sustenta
estruturas maiores

oxidado desmancha
no que se deforma

enferrujado corpo
em finas partículas
na dor de quem sabe
que tudo acaba.

(Pedro Du Bois, inédito)

quarta-feira, 26 de março de 2014

PASSADO

Armazeno as coisas
 desprovidas de matéria: acode ao cego
                                  a bengala
                                      o cachorro
                                 acorre ao surdo
                            em sinais e gestos
escondo na criança o crescer e a seriedade
em gavetas trancadas
                  o mistério transparece
                  na mão conduzida em chaves

apelo ao senso
           o desuso e a catraca
arrepia o sujo
           a água e a macela
ausentam o corpo
           a matéria e a ilusão
roubam do portador a entrada

forço a gaveta
            minha mão é forte
e avanço lerdo o caminho no instante
atravessado ao mundo
            a conversa e o barulho
acendem o fogo
            na imagem e gosto
jogados aos mortos

a ventura recupera meu medo
em conversas baixas

           o silêncio impera.

(Pedro Du Bois, inédito)

segunda-feira, 24 de março de 2014

AMAR

Sou o castigo
em postiça forma
culpada na tipicidade do ato

amo
   como amam os insanos
   - como os vejo amando -
em inimagináveis fases
de fragmento e enlevo

torço o rosto ao desgosto
da lâmina brilhante sobre a face
no assalto concluído em fuga

fuga de sentimentos
irrealizados em ondas
deletérias de paixão

retoco a tinta no sentido
do vento a balançar a flor
sobre a amurada
da minha ausência

amo
sendo o amor
             agora.

(Pedro Du Bois, inédito)

sábado, 22 de março de 2014

Leonardo Sodré

União, em:
http://www.leonardosodre.com/2014/03/uniao.html

OLHAR

Nos olhos da criança
a mãe sobrevive
ao pai escondido
em intermináveis
horas de trabalho

descobre a sobrevivência
necessária ao crescimento
na orientação ausente
do que se apresenta
em seu amadurecimento

refugiado em mitos
que mentem a realidade
desconfortável dos momentos
em que precisa da ajuda
de quem está longe
e cansado.

(Pedro Du Bois, inédito)

quinta-feira, 20 de março de 2014

Estudo Geral

Incidental, em:
http://luis-eg.blogspot.com.br/2014/03/poemas-que-se-encontram-mulher-como.html

FUGA

Na varanda onde escrevo
                         meras palavras
o barulho da rua invade o espaço

poucas flores folhagens
a procissão no quadro
                       estática

ilumino na cena a coragem
de estarem na rua

                       abaixo

corpos passam: pedaços
de vidas em declínio
pelo descompasso
aberto em frêmitos
           e frestas devassadas

espero o escurecer da terra
 o ir embora de casa
 no sorriso angustioso
 de fora para dentro
 na oitava fuga do corpo
                       agora rígido.

(Pedro Du Bois, inédito)


quarta-feira, 19 de março de 2014

terça-feira, 18 de março de 2014

Ares e Mares

União, em:
http://www.aresemares.com/index.php/materias-especiais/uniao-de-pedro-du-bois/

FERAS

O esgar do animal
sobre a presa

a pressa na fome
saciada

o enfado com que se livra
da carcaça

crasso erro cometido
pelo incontido homem
que adestra

a fera tem sua fome
reproduzida na caça

predadora
impõe o gesto em fúria
ao medo da desobediência

morre o homem: repasto
infértil de perdidos pensamentos.

(Pedro Du Bois, inédito)

domingo, 16 de março de 2014

TRAZER

Da trama a luz volatizada
entregue ao peregrino na passagem
do estado de tristeza na realidade
que queima odores não uniformes

de ondas mornas o canto
da luz da espera no pensamento
inútil do querer: feito leão
solto na paragem da solidão

no espaço o tempo tarda
na simples luz de estrelas
e firmamentos onde o caminhante

no contorno das feições esconde
a notícia não trazida em intraduzível
gesto contido na flor de outras épocas

(é seca a hora).

(Pedro Du Bois, inédito)

sexta-feira, 14 de março de 2014

ESPERA

A espera não reflexiona:
           entorpece a mente

se me cabe o lugar na fila
não me interessa
os que se posicionam
à frente

na fila
passos me destinam


sou sucessivo
prisioneiro
          no passo atrás

a espera é completude
do tempo na saciedade
de autômatos dirigidos

entorpecido
           não distingo
o momento ao lado.

(Pedro Du Bois, inédito)

meiotom poesia&prosa

Ano Civil, em:
http://www.meiotom.art.br/dupo14ac.htm

quinta-feira, 13 de março de 2014

quarta-feira, 12 de março de 2014

Athos - Lúcia Freire

Capaz, em:
http://athos-luciafreire.blogspot.com.br/2014/03/capaz.html

PRISÃO

Aprisionado na rua aberta

muros fecham
meu corpo na cama
sobreposta aos ares
no esperar singelo
da paisagem

tenho nos pontos cardeais
a certeza da inutilidade
do olhar sobre o horizonte

chove sobre a terra

livre para ir embora
da vida que me imobiliza
em castigo e calvário

a sensação do instante
no portão fechado
antes de o corpo
iniciar a caminhada.

(Pedro Du Bois, inédito)

segunda-feira, 10 de março de 2014

sábado, 8 de março de 2014

quinta-feira, 6 de março de 2014

Ares e Mares

Obviedade, em:
http://www.aresemares.com/index.php/paises/obviedade-de-pedro-du-bois/

LUZES

Avança o corpo no espaço
em casas indivisíveis

recebe os primeiros fótons
da energia em luzes

sabe do início o essencial
de que a história não é mera música
e letra de ópera ligeira

transforma a tragédia no riso
do insensível personagem
de poucas luzes

o cone reflui a imagem
na longa chegada

diferencia a luz
das luzes outroras
iluminadas da estrela
em suas mazelas

caminha o bastante
para o cansaço
perceber o corpo

resolve seus problemas
e dá as respostas na canção
correta aos ouvidos

seja a luz
permitida ao cego

nas letras entende a língua
com que falam as histórias

em permitido leito
renasce o sentido no instinto
com que a fera se humaniza

o fóton coroado na viagem
amplia sua base  no cone
cujo ápice mostra

o amor estratificado
em relações menores

a terra cerca a bruta pepita
que o mercúrio envelhece

a morte em luzes nessa hora
de perdidos pedidos de perdão

remanesce em obras
no tear desfeito pelo dedo
ferido na agulha

a linha força a vontade
no desfazer pontos de vaidade

espera as demais luzes
que precisam chegar.

(Pedro Du Bois, inédito)




terça-feira, 4 de março de 2014

ENCONTROS

O homem
sem nome
avança até a beira da estrada
faz o sinal de carona
aos carros que passam
desabalados

abalado o homem
volta a sentar sobre a pedra
sabe que não chegará no tempo
em que os encontros acontecem

retorna em passos
cabisbaixo
ciente do fracasso

o homem sem vida
retrocede.

(Pedro Du Bois, inédito)

domingo, 2 de março de 2014

Partilha, por Mhario Lincoln

Luzes e Sapiência, em:
http://partilhabr.com.br/arte-e-literatura/37-ineditos-de-pedro-du-bois

LUZES

A luz predisposta
na porta entreaberta
o sono abafa o choro
de perdidas imagens
lembradas no início
raiva concentrada
em impropérios
caminho bifurcado
segue o destino
sobre a elevação
o vento silencia
a resposta
cobra do corpo
o escopo deposto
em anotações
verbaliza ordens
a desordem habita
sua vista
a luz ganha espaço
perdido na composta
vida: outro o preferido
em amor e vácuo
mortos sentimentos
retornam na estrada
                      única.

(Pedro Du Bois, inédito)

Leonardo Sodré

Obviedade, em:
http://www.leonardosodre.com/2014/03/obviedade.html

sábado, 1 de março de 2014

Revista Cerrado Cultural

Obviedade, em:
http://revistacerradocultural.blogspot.com.br/2014/03/obviedade.html

Incidental, em:
http://revistacerradocultural.blogspot.com.br/2014/03/incidental.html

Conviver, em:
http://revistacerradocultural.blogspot.com.br/2014/03/conviver.html

Fauno, em:
http://revistacerradocultural.blogspot.com.br/2014/03/fauno.html

Letras et cetera

Corpo, em:
http://nanquin.blogspot.com.br/2014/03/corpo.html